Arquivo de março, 2011

pequenos prazeres da vida

Publicado: março 23, 2011 em Uncategorized

Sem qualquer ordem de importância, aí vai:

Aquele copo de água fresca no Verão quando estamos a “morrer de sede”.
O primeiro mergulho do Verão.
O último dia de trabalho; o primeiro dia de férias.
Aquela conversa com uma pessoa nova que estamos a descobrir.
Poder finalmente defecar ou urinar quando estávamos mesmo ” à rasca”.
Quando o nosso olhar se encontra com o daquela pessoa.
O desenho que uma criança fez e diz “toma, é pra ti”.
Quando chega o Verão e elas começam a usar o Branco.
Quando ouvimos aquela música que nos faz lemrar aquele momento, aquela pessoa, aquela fase da vida.
Quando saimos de um concerto de “barriga cheia” e damos o nosso dinheiro por bem empregue.
A última página de um livro.
A primeira noite com lençóis de flanela na cama.
O primeiro dia do horário de Verão em que o dia parece logo muito maior.
Uma cama acabada de fazer, com lençóis bem passadinhos a ferro e ainda a cheirar a amaciador. (contribuição de Carlos Calmão)
Ler ou tocar (o espaço tem uma boa acústica)na casa de banho. (contribuição de Carlos Calmão)
Quando chega finalmente o fim de uma fila de trânsito. (contribuição de João Paulo)
Apanhar o transporte público no último segundo possível, quando já estamos quase atrasados (contribuição de João Paulo).
Pensar numa pessoa especial e ela aparecer diante de nós. (contribuição de João Paulo).
Estar a chover bastante e estar no quentinho da casa ou da cama. (contribuição de João Paulo).
Quando está um frio de rachar ou a chover, ou estamos com pressa e aparece aquele conhecido que nos dá uma boleia. (contribuição de João Paulo).
Comer um chouriço assado à lareira, numa noite de cartas. (contribuição Pedrinha)
Aquelas tardes de verão que parecem não ter fim. (contribuição de Johny)
O prazer de liberdade quando passamos no exame de condução, arranjamos 1 carro e podemos ir para onde nos dá na veneta. (contribuição de João Kazoo)
Nada como um bom café a seguir ao almoço! (contribuição de anónimo)
A sensação de ter um cardeno novinho em folha para escrever os nossos sumários. As canetas devidamente organizadas no estojo e a vontade de mostrar o nosso material novinho ao pessoal…(contribuição de Carlos Calmão)
Uma guitarra com cordas novas.
Aterrar em Lisboa depois de alguns dias fora do país… (contribuiçãol de Ortega)
Espirrar! Eu adoro ESPIRRAR, quando aquela vontade reprimida se consegue soltar! (contribuição de Marta “Ramalho”)
O Orgasmo, só peca por não ser um pequeno prazer! (contribuição de Vasco Lima)
O prazer de comprar um disco novo e escutá-lo desfolhando o encarte.(contribuição de Vasco Lima)
Quando conseguimos fazer um bebé rir.(contribuição de Vasco Lima)
Quando se termina um poema, ou uma música.(contribuição de Vasco Lima)
Conseguir receber alguma “coisita” no IRS.(contribuição de Vasco Lima)
Estrear um fato.(contribuição de Vasco Lima)
Quando um amigo nos convida para a despedida de solteiro. (contribuição de Vasco Lima)
Passar aquele nivel do jogo onde estavamos encravados à 3 semanas, com um tiro, mesmo nas nalgas, no cabrão do nazi ! (contribuição de Impaler)
Uma cerveja gelada na esplanda, depois daquele último exame do semestre… (contribuição de João Cruz)
Dormir nu… é daqueles prazeres… não sei… uma sensação de liberdade espectacular! (contribuição de Tony)
O último pratinho de caracóis do Verão (contribuição de Tony)
O cheiro a castanhas nas ruas de Lisboa, numa das primeiras chovadas de inverno. (contriubuição de João Cruz)
Gritar em uníssono com milhares de pessoas num estádio “GOLO!”. (contribuição de João Cruz)
Dar um bom mergulho nas praias do nordeste brasileiro. (contribuição de Afonso)
Dentro de um granda mar, fumar um granda cigarro, sentado numa granda bóia, numa granda praia, a ver os veraniantes à distância

Anúncios

Geek

Publicado: março 5, 2011 em Uncategorized

Geek (do inglês geek, pronuncia “guik”: IPA /gi:k/) é uma expressão idiomática da língua inglesa, uma gíria que define pessoas peculiares ou excêntricas obcecadas com tecnologia, eletrônica, jogos eletrônicos ou de tabuleiro e outros.

Definição

A definição de geek mudou consideravelmente ao longo do tempo e já não há um significado definitivo. Os termos nerd, dweeb e dork têm significados semelhantes como geek, mas muitos optam por identificar diferentes conotações entre estes termos, embora as diferenças sejam controversas. Em uma entrevista em 2007 ao Colbert Report, Richard Clarke disse que a diferença entre nerds e geeks é “geeks fazem acontecer.”[1]
Adeptos da doutrina geek definem o termo como um “técnico, doutor, autodidata, apaixonado pelo que faz e pelo que entende”.
Para o psicólogo Erick Itakura, do Núcleo de Pesquisa em Psicologia e Informática da Clínica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, geek e nerd são a mesma coisa. Em sua opinião, o que mudou ao longo dos anos foi a aceitação social das pessoas ligadas em tecnologia.[2

Origem

A palavra geek teve seu primeiro registro em 1876, como sinônimo de fool (bobo) e posteriormente passou a designar artistas ambulantes que ganhavam a vida exibindo-se nos mafuás ou nas ruas, em performances bizarras que incluíam arrancar a cabeça de uma galinha viva com os dentes ou comer insetos (em inglês: bugs). Por analogia, passou-se a designar como computer geek aquele que ganha à vida “comendo” bugs de computador.[3]
A expressão só adquiriu contornos positivos quando a tecnologia ganhou status de poder liberador. Nos anos 1990, o “Jargon File”, um léxico criado pela primeira geração de pioneiros da internet, definiu geek como “uma pessoa que escolheu a concentração no lugar da conformidade; alguém que busca objetivo (em particular, técnicos) e imaginação, não a adequação social padronizada. Geeks em geral sofrem de neofilia (atração por tudo aquilo que é novidade) e são adeptos de computadores”.[4]

By Wikipédia.